Reação da esposa do ex-governador sobre renúncia, dinheiro público gasto em campanha e mais: veja quatro informações que você não viu na imprensa tocantinense em 2014

“Fontes Palacianas” contaram muitas coisas ao Blog do @eduardoazev

Por: @eduardoazev 

1 – A reação da esposa do ex-governador Siqueira Campos quando ele disse que iria renunciar

Muita gente não soube, mas Marilúcia Leandro Uchôa Siqueira Campos, esposa do ex-governador Siqueira Campos (PSDB), não gostou nada de receber a notícia de que o marido renunciaria. Ele deixou o cargo em abril de 2014. Fontes palacianas (termo usado para se referir a gente do círculo dos envolvidos na notícia) do Blog do @eduardoazev informaram que ela discordou veemente da decisão do então governador, que deixaria o seu legado para atender a interesses do filho. Ainda de acordo com as informações recebidas, o relacionamento dela com o deputado estadual Eduardo Siqueira Campos (PDT) e filho de Siqueira não é dos melhores.

2 – Por que o senhor renunciou?

O Blog do @eduardoazev não encontrou nenhuma reportagem que tivesse a resposta do ex-vice-governador João Oliveira (DEM), sobre o motivo da sua renúncia. Em abril do ano passado ele deixou o cargo. Logo depois foi a vez de Siqueira Campos.

Quando vejo a empolgação dos calouros na UFT
Apenas “esperano”

3 – Ex-deputado gastou dinheiro da Cota Parlamentar com combustível em sua campanha eleitoral: ele utilizou a mesma nota fiscal no Portal da Transparência da Câmara e na prestação de contas do TSE

O ex-deputado federal Júnior Coimbra utilizou R$ 4,5 mil da Cota Parlamentar para custear despesas com combustível em sua campanha eleitoral. A informação foi obtida pelo Blog do @eduardoazev após uma consulta no Portal da Transparência da Câmara Federal.

De acordo com o recibo digitalizado, foram gastos R$ 9.319,66 com Diesel e Gasolina no posto Perequetê, que fica na 712 sul em Palmas. A nota fiscal emitida pelo estabelecimento é do dia 02/10/2014. Desse total R$ 4,5 mil, valor máximo que deve ser utilizado com combustível por mês, foram descontados e reembolsados ao deputado por meio da Cota Parlamentar.

Um fato curioso observado pelo Blog do @eduardoazev foi que no recibo disponibilizado no Portal da Transparência da Câmara Federal, consta o CNPJ de Coimbra como candidato a deputado federal. Numa pesquisa realizada pela reportagem no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi constatado que o mesmo recibo foi utilizado para a prestação de contas eleitoral do então deputado.

Confira nas imagens abaixo:

PRINT - PRESTAÇÃO DE CONTAS - CÂMARA FEDERAL
Prestação de contas do deputado disponibilizada no Portal da Transparência da Câmara Federal
PRINT - PRESTAÇÃO DE CONTAS TSE
Prestação de contas do ex-deputado disponibilizada no TSE

O Blog do @eduardoazev também analisou os outros deputados federais que tentaram a reeleição, mas não foi constatado nenhum caso parecido com o de Coimbra. No entanto, muitos gastaram quantias significativas de cota parlamentar com combustível entre julho e outubro, isto é, durante o período eleitoral. Confira o ranking abaixo:

DEPUTADO FEDERAL LÁZARO BOTELHO: R$ 17.999,99

EX-DEPUTADO FEDERAL JÚNIOR COIMBRA (PMDB): R$ 17.994,24 (Não reeleito)

DEPUTADO FEDERAL CÉSAR HALUM: R$ 17.711,75

EX-DEPUTADO FEDERAL ÂNGELO AGNOLIN (PDT): R$ 13.499,9 (Não eleito)

DEPUTADO FEDERAL IRAJÁ ABREU (PSD): R$ 10.747,84

DEPUTADA FEDERAL PROFESSORA DORINHA (DEM): R$ 10.387,2

EX-DEPUTADO FEDERAL EDUARDO GOMES (PMDB): R$ 2.659,50 em julho de 2014. Ele licenciou-se depois para a disputa eleitoral. (Não eleito)

Levando em conta o valor de R$ 17.999,99 que foi gasto por Botelho e o preço de R$ 3,20 da gasolina, um carro que percorra 10 quilômetros por litro rodaria 56.249 quilômetros com esse valor. Em quatro meses com 88 dias úteis, isso significa um trajeto de 639 quilômetros por dia. É como se um carro fosse de Palmas até Gurupi e voltasse e depois fosse de Palmas para Paraíso e voltasse para a Capital. Isso todos os 88 dias ininterruptamente.

Gif de carro
Bora economizar aê né galera

4 – Kátia Abreu já havia sido convidada para assumir o Ministério da Agricultura, Abastecimento e Pecuária, mas não aceitou

Novamente “Fontes Palacianas” informaram o Blog do @eduardoazev sobre um convite feito à senadora Kátia Abreu (PMDB). De acordo com as informações, no ano passado ela teria sido convidada pela presidente Dilma Rousseff para assumir o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). No entanto a senadora tocantinense não aceitou o pedido naquele momento. A aproximação do período eleitoral pode ter sido um dos motivos que levaram Kátia a recuar.

Quando me pedem pra aumentar a temperatura do ar condicionado, por que está “fazendo frio” 

No último mês o Blog do @eduardoazev solicitou informações à assessoria de comunicação da senadora sobre o motivo dela não ter aceitado o primeiro convite, mas a solicitação não foi respondida.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s