REPERCUSSÃO: Comissão da Mulher da OAB-TO emite nota de apoio à professora tocantinense após discussão com jornalista: “foi alvejada por manifestações sexistas e preconceituosas”, diz nota

Por: @eduardoazev

Após um episódio ocorrido na cidade de Gurupi no dia 06 de maio deste ano, entre a professora tocantinense Natália Pimenta e a jornalista Patrícia Lelis, a Comissão da Mulher Advogada da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Tocantins (CMA/OAB-TO) divulgou uma nota de apoio à professora.

A CMA/OAB-TO disse se solidarizar com Natália “alvejada por manifestações sexistas e preconceituosas no Facebook”. Ainda na nota, a Comissão também lamentou “as declarações da jornalista Patrícia Lélis”.

“A publicação, além de estereotipar o gênero feminino, sugere que a aparência da mulher pode qualificar ou desqualificar o seu discurso. O episódio evidencia o quanto é necessário incluir o debate de gênero em todos os níveis da educação brasileira”, diz a Comissão.

A nota na íntegra você pode conferir no final da matéria.

ENTENDA

O caso foi evidenciado em primeira mão pelo Blog do Eduardo Azevedo. Na ocasião, a tocantinense chamou a jornalista de machista e preconceituosa durante uma palestra ocorrida em um colégio particular em Gurupi. Posteriormente ela foi respondida por meio de uma rede social da seguinte maneira: “feinha ao invés de ficar procurando treta vá pentear esses cabelos”.

Após a discussão, Patrícia também teria mandado mensagens e áudios para a sobrinha de 15 anos da professora, que estuda no colégio.

Posteriormente, a jornalista também explicou a sua versão para um seguidor:

“O que aconteceu foi o seguinte: após a ‘educadora’ começar a gritar que eu sou machista, facista, homofóbica… Eu apenas a aconselhei ir pentear o cabelão ao invés de ficar falando isso tipo de coisa na falta de argumentação. A cada 3 palavras que a mulher falava, 2 era me chamando de algo do tipo…eu não tinha nem o que falar, porque não tinha nem assunto! Sorte a dela eu ainda ter sido tão bacana, logo após a oferecer um abraço…pq infelizmente eu não posso falar tudo que eu penso sobre esse tipo de pessoa!”

NOTA DE SOLIDARIEDADE

A Comissão da Mulher Advogada da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Tocantins (CMA/OAB-TO) se solidariza com a professora Natália Pimenta, alvejada por manifestações sexistas e preconceituosas no Facebook, ao mesmo tempo em que lamenta as declarações da jornalista Patrícia Lélis.

A postagem ofensiva foi veiculada no perfil de Patrícia Lélis, no último dia 6 de maio de 2016. A publicação, além de estereotipar o gênero feminino, sugere que a aparência da mulher pode qualificar ou desqualificar o seu discurso.

O episódio evidencia o quanto é necessário incluir o debate de gênero em todos os níveis da educação brasileira, a fim de que tais discriminações sejam elididas e as práticas de ensino se voltem à inclusão e a promoção da igualdade de gênero e direitos humanos.

A CMA/OAB-TO reitera o compromisso de dedicar especial atenção à discriminação baseada em gênero e por se pautar pelo pluralismo e diversidade, valores respeitados por orientação constitucional, se contrapõe a qualquer postura discriminatória.

Palmas/TO, 10 de maio de 2016.

Comissão da Mulher Advogada da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Tocantins

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s