#DeOlho: UFT divulga as 20 melhores fotos que estão concorrendo no 1º Concurso de Fotografia – Câmpus de Palmas. Confira:

Por: Eduardo Azevedo

A Universidade Federal do Tocantins (UFT) divulgou na última sexta-feira, 1 de julho, as 20 fotos selecionadas no 1º Concurso de Fotografia – Câmpus de Palmas. A imagem que tiver o maior número de curtidas até às 23h59min do próximo dia 07 de julho será a grande vencedora. A exposição e premiação aos vencedores acontecerá no dia 10 de agosto deste ano.

 

 

Confira as fotos selecionadas e vote na que você achar mais bonita ❤ :

 

 

Anúncios

CÂMPUS DE PALMAS: Após repercussão negativa, Proest recua e informa que por ora não haverá aumento no valor da refeição do RU

Por: Eduardo Azevedo

Após a repercussão negativa no ambiente acadêmico sobre o aumento de R$ 2,50 para R$ 4,00 na refeição do Restaurante Universitário (RU) da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Câmpus de Palmas, a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proest) e a Coordenação dos RU informou que “por ora não haverá aumento no valor da refeição”.

De acordo com a coordenadora-geral do RU, Selma Carmo de Sousa, para debater o reajuste será realizado por meio da Proest, uma reunião com representantes estudantis, como os Centros Acadêmicos (CAs) e Diretório Central do Estudantes (DCE-UFT), em data ainda a ser definida.

De acordo com a pró-reitora da Proest, Juscéia Garbelini, no período de um ano, a empresa que administra o RU de Palmas reajustou o valor duas vezes, e em todos não foi feito repasse para os alunos, sendo dessa vez inviável para UFT arcar com o aumento sozinha.

“A UFT conta com três Restaurantes Universitários e, diante da necessidade de celebração de novos contratos e de reequilíbrio de preços, a Reitoria, a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e a Coordenação dos RUs decidiram pela realização de um debate com a representação estudantil dos câmpus envolvidos, em busca de um reequilíbrio justo dos preços a serem praticados”, informou Júsceia Garbelini. Ainda segundo a pró-reitora, a intenção da reunião é chegar a um acordo com um preço único e justo para todos; que seja viável para os alunos, e que contemple as possibilidades orçamentárias da Universidade.

Com informações de Cynthia Mariah Barreto/Dicom-UFT.

CÂMPUS DE PALMAS: Inscrições para o Concurso de Fotografia “Olhar a UFT” vão até o dia 26 de junho. Confira as regras e premiações

Por: Elâine Jardim e Luana Nunes

Com o intuito de estimular a prática da fotografia pela comunidade acadêmica da Universidade Federal do Tocantins (UFT) e desenvolver a sensibilidade artística e olhar crítico da comunidade, foram abertas no último dia 06 de junho as inscrições para o 1º Concurso de Fotografia “Olhar a UFT”. Podem participar membros de toda comunidade acadêmica da UFT, desde que os registros sejam do Câmpus de Palmas. A inscrições seguem até o dia 26 de junho.

O concurso será dividido em duas categorias distintas: “Vida acadêmica” e “Paisagem UFT”. Os registros das fotografias deverão ser feitos no Câmpus de Palmas. Toda a comunidade acadêmica da UFT poderá se inscrever através do formulário http://bit.ly/1YbCij8.

Duas fotografias selecionadas de cada tema terão premiação de R$ 120, e as vinte primeiras classificadas serão selecionadas para exposição fotográfica que ocorrerá no Bloco I, do Câmpus Palmas.

Também será premiada com R$ 120 a melhor fotografia escolhida pelo público, por meio da página do Facebook do Setor de Extensão e Cultura, onde serão publicadas as 20 melhores fotografias escolhidas pela comissão julgadora do concurso.

Para Eliane Aires, produtora cultural do Setor de Extensão e Cultura, o concurso “visa fomentar a sensibilidade da comunidade acadêmica na prática da fotografia, com o intuito de despertar e mostrar talentos”, afirma.

O edital e mais informações podem ser obtidas na mini home do certame, no endereço www.uft.edu.br/olharuft.

olhar a uft concurso de fotografia campus de palmas

1ª PARCIAL: Do câmpus de Palmas, curso de Medicina da UFT possui as sete maiores notas de corte no Sisu 2016.2

 

Por: Eduardo Azevedo

O curso de medicina da Universidade Federal do Tocantins (UFT) possui as sete maiores notas de corte do Sisu 2016.2, conforme a 1ª parcial divulgada pelo Ministério da Educação (MEC). Atualmente, a UFT disponibiliza seis tipos de cota, que vão desde candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas até quilombolas. Direito, Engenharia Civil e Arquitetura e Urbanismo na ampla concorrência, respectivamente, fecham a lista das 10 maiores nota de corte.

A relação das notas de corte do cursos do câmpus de Palmas e por ordem decrescente, você pode conferir abaixo:

 

CURSO TIPO DE VAGA NOTA DE CORTE 31/05
1
MEDICINA
16 vagas para a ampla concorrência
759,36
2
MEDICINA
2 vagas para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
742,75
3
MEDICINA
2 vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
712,49
4
MEDICINA
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
706,67
5
MEDICINA
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
701,45
6
MEDICINA
2 vagas para indígenas
692,83
7
MEDICINA
2 vagas para quilombolas
690,01
8
DIREITO
16 vagas para a ampla concorrência
685,25
9
ENGENHARIA CIVIL
16 vagas para a ampla concorrência
669,63
10
ARQUITETURA E URBANSMO
10 vagas para a Ampla concorrência
662,38
11
ARQUITETURA E URBANSMO
1 vagas para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
655,04
12
DIREITO
2 vagas para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
653,63
13
DIREITO
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
651,28
14
DIREITO
2 vagas para quilombolas
649,19
15
DIREITO
2 vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
636,27
16
ARQUITETURA E URBANSMO
1 vaga para quilombola
635,94
17
ADMINISTRAÇÃO
2 vagas para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
629,58
18
DIREITO
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
629,07
19
ENGENHARIA CIVIL
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
621,35
20
JORNALISMO
16 vagas para a ampla concorrência
618,76
21
ENGENHARIA CIVIL
2 vagas para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
618,58
22
ENGENHARIA ELÉTRICA
16 vagas para a ampla concorrência
618,08
23
ENGENHARIA ELÉTRICA
2 vagas para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
614,15
24
ARQUITETURA E URBANSMO
6 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
606,22
25
ARQUITETURA E URBANSMO
5 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
604,84
26
JORNALISMO
2 vagas para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
604,61
27
ENFERMAGEM
8 vagas para a ampla concorrência
603,08
28
ENGENHARIA CIVIL
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
597,75
29
ENGENHARIA CIVIL
2 vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
595,02
30
ENFERMAGEM
4 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
593,95
31
ADMINISTRAÇÃO
16 vagas para a ampla concorrência
590,92
32
ENGENHARIA ELÉTRICA
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
590,42
33
FILOSOFIA
2 vagas para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
588,75
34
CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO
16 vagas para a ampla concorrência
588,07
35
NUTRIÇÃO
2 vagas para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
587,76
36
DIREITO
2 vagas para indígenas
586,52
37
ENFERMAGEM
1 vaga para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
584,22
38
ARQUITETURA E URBANSMO
1 vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
584,08
39
NUTRIÇÃO
16 vagas para a ampla concorrência
583,38
40
ENFERMAGEM
1 vaga para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
583,02
41
ADMINISTRAÇÃO
2 vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
582,63
42
CIÊNCIAS ECONÔMICAS
16 vagas para a ampla concorrência
582,47
43
CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO
2 vagas para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
582,07
44
JORNALISMO
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
579,26
45
CIÊNCIAS CONTÁBEIS
16 vagas para a ampla concorrência
578,88
46
ENGENHARIA ELÉTRICA
2 vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
576,38
47
FILOSOFIA
16 vagas para a ampla concorrência
573,68
48
JORNALISMO
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
571,92
49
ENGENHARIA AMBIENTAL
2 vagas para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
569,86
50
ENGENHARIA AMBIENTAL
16 vagas para a ampla concorrência
568,45
51
CIÊNCIAS CONTÁBEIS
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
563,48
52
CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
561,32
53
ENGENHARIA ELÉTRICA
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
560,9
54
CIÊNCIAS CONTÁBEIS
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
559,63
55
ENFERMAGEM
4 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
556,91
56
CIÊNCIAS CONTÁBEIS
2 vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
555,34
57
ADMINISTRAÇÃO
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
553,66
58
JORNALISMO
2 vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
553,02
59
NUTRIÇÃO
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
552,3
60
NUTRIÇÃO
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
548,67
61
PEDAGOGIA
16 vagas para a ampla concorrência
547,58
62
PEDAGOGIA
2 vagas para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
542,76
63
PEDAGOGIA
2 vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
542,58
64
ADMINISTRAÇÃO
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
541,25
65
TEATRO
16 vagas para a ampla concorrência
540,72
66
ENGENHARIA AMBIENTAL
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
537,87
67
ENGENHARIA DE ALIMENTOS
16 vagas para a ampla concorrência
537,23
68
CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
536,98
69
NUTRIÇÃO
2 vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
536,14
70
PEDAGOGIA
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
530,98
71
CIÊNCIAS ECONÔMICAS
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
530,69
72
PEDAGOGIA
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
524,08
73
ENGENHARIA CIVIL
2 vagas para quilombolas
518,51
74
ENGENHARIA DE ALIMENTOS
2 vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
517,87
75
CIÊNCIAS CONTÁBEIS
2 vagas para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
515,98
76
ENGENHARIA AMBIENTAL
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
515,55
77
ENGENHARIA DE ALIMENTOS
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
514,2
78
CIÊNCIAS ECONÔMICAS
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
510,18
79
ARQUITETURA E URBANSMO
1 vaga para indígena
508,61
80
JORNALISMO
2 vagas para quilombolas
508,5
81
ENFERMAGEM
2 vagas para indígenas
506,95
82
ENGENHARIA AMBIENTAL
2 vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
506,9
83
ENGENHARIA DE ALIMENTOS
2 vagas para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
506,73
84
CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO
2 vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
505,65
85
ENGENHARIA DE ALIMENTOS
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
505,02
86
CIÊNCIAS ECONÔMICAS
2 vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
504,38
87
TEATRO
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
496,63
88
TEATRO
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
494,38
89
FILOSOFIA
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
493,42
90
ENGENHARIA CIVIL
2 vagas para indígenas
488,47
91
FILOSOFIA
8 vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
483,8
92
TEATRO
2 vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
480,93
93
ENGENHARIA AMBIENTAL
2 vagas para quilombolas
479,99
94
CIÊNCIAS CONTÁBEIS
2 vagas para indígenas
479,03
95
NUTRIÇÃO
2 vagas para indígenas
477,78
96
PEDAGOGIA
2 vagas para quilombolas
474,06
97
NUTRIÇÃO
2 vagas para quilombolas
468,75
98
ENFERMAGEM
2 vagas para quilombolas
465,77
99
CIÊNCIAS CONTÁBEIS
2 vagas para quilombolas
448,93
100
TEATRO
2 vagas para quilombolas
437,43
101
ADMINISTRAÇÃO
2 vagas para quilombolas
409,03
102
ADMINISTRAÇÃO
2 vagas para indígenas
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
103
CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO
2 vagas para indígenas
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
104
CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO
2 vagas para quilombolas
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
105
CIÊNCIAS ECONÔMICAS
2 vagas para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
106
CIÊNCIAS ECONÔMICAS
2 vagas para indígenas
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
107
CIÊNCIAS ECONÔMICAS
2 vagas para quilombolas
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
108
ENGENHARIA AMBIENTAL
2 vagas para indígenas
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
109
ENGENHARIA DE ALIMENTOS
2 vagas para indígenas
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
110
ENGENHARIA DE ALIMENTOS
2 vagas para quilombolas
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
111
ENGENHARIA ELÉTRICA
2 vagas para indígenas
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
112
ENGENHARIA ELÉTRICA
2 vagas para quilombolas
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
113
FILOSOFIA
2 vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
114
FILOSOFIA
2 vagas para indígenas
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
115
FILOSOFIA
2 vagas para quilombolas
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
116
JORNALISMO
2 vagas para indígenas
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
117
PEDAGOGIA
2 vagas para indígenas
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
118
TEATRO
2 vagas para candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.
119
TEATRO
2 vagas para indígenas
Em 31/05/2016 à 0h não havia nota de corte nesta modalidade porque a quantidade de candidatos inscritos era inferior à quantidade de vagas.

“TESTE DO PICOLÉ”: projeto Cidadão Consciente implementado em Palmas testa honestidade dos alunos da UFT

Por: Vanessa Mesquita e Daniel dos Santos / UFT

Fomentar o exercício da cidadania, a fim de criar uma cultura em que os cidadãos reafirmem a honestidade e a ética diariamente, é o que propõe o projeto Cidadão Consciente implementado na Universidade Federal do Tocantins nesta quarta-feira (27). “O objetivo é fazer um convite a reflexão sobre nossos atos enquanto cidadãos”, explica o diretor de cultura do Câmpus de Palmas, Dimas Magalhães Neto.

O projeto foi inspirado na iniciativa da Universidade Tecnológica Federal de Cornélio Procópio, do Paraná. A ideia é que, durante um mês, um freezer com picolés fique disponível no Bloco I. As pessoas poderão fazer a retirada do produto e em seguida depositar o valor de R$ 2,00 em uma urna colocada ao lado, sem qualquer fiscalização efetiva. No mesmo período tabuleiros de xadrez estarão livremente acessíveis para comunidade. Apesar de ser um novo projeto, o conceito não é totalmente novo na Universidade, já que há algum tempo materiais esportivos – como a bola de vôlei, raquetes e bolas de tênis de mesa – são deixados à disposição dos acadêmicos e são bem utilizados, mesmo que não exista um controle real.

Essa boa experiência leva o diretor a ser positivo em relação aos riscos. “Acreditamos que vale a pena correr este risco principalmente por acreditar que a grande maioria das pessoas que irá se envolver já é consciente”, justifica Dimas. “O que temos que fazer é demonstrar que é possível educar as pessoas através das boas práticas, e que ainda podemos acreditar nas pessoas, ou pelo menos na grande maioria delas”, complementa.

A avaliação dos resultados é feita diariamente e divulgada em um quadro branco que fica junto ao freezer. Como o projeto não tem fim lucrativo, o valor arrecadado, caso supere os custos, será doado a uma entidade social. Até a última quinta-feira (28), a atividade têm tido uma avaliação positiva, com uma média de 92% de cidadãos conscientes.

O professor do curso de Filosofia, Gabriel Diedrich, considera importante o impulso geral do projeto, pois ele permite discutir temas éticos de um modo contextualizado e concreto, considerando agentes específicos em ações específicas. “Não é incomum, especialmente nos dias atuais, ouvirmos, lermos ou dizermos as palavras ‘honestidade’, ‘corrupção’ e ‘ética’, mas muitas vezes as empregamos para nos referir a ações de outros, notoriamente agentes públicos. Quando estas palavras são empregadas para se referir e avaliar ações de agentes com os quais convivemos mais diretamente, ou quando são empregadas para se referir às nossas próprias ações, tais palavras possuem um peso especial. O projeto me parece positivo exatamente por possibilitar uma reflexão sobre nossas próprias ações concretas, sem, por assim dizer, maiores rodeios”, explicou Diedrich.

O professor ainda acrescenta que o fato de deixar em aberto a possibilidade de cada um se decidir por aquilo que seria em princípio publicamente correto tende a estimular a prática de algo com que, pelo menos no plano do discurso, todos concordariam. “A partir de exemplos positivos, comportamentos podem ser reproduzidos quase que naturalmente, criando uma rede mais ampla de ações publicamente positivas. Propostas similares, como a de compartilhamento de livros em locais públicos, também podem ser igualmente benéficas. Inclusive se poderia incluir entre os livros a serem compartilhados livros de ética, fazendo, assim, circular discussões desta natureza”.

ESPORTE: UFT inaugurará pista de atletismo no Câmpus de Palmas: obra custou mais de 4,8 milhões

Por: Virgínia Magrin / UFT

Com oito raias de 400 metros, uma pista de 100 metros, duas pistas de salto com vara, duas pistas de salto triplo e extensão, duas bases para lançamento de peso, uma pista para lançamento de dardo, duas pistas para salto em altura, e outras duas pistas para salto com vara, será inaugurada no Câmpus de Palmas, da Universidade Federal do Tocantins, nesta quarta-feira (4), a primeira Pista de Atletismo do Tocantins com padrão internacional.

Na ocasião será realizada uma apresentação de Atletismo, com alunos da escola pública que já praticam a modalidade e atletas paralímpicos do Projeto Reviver. Além disso, estarão presentes o Ministro de Esporte, Ricardo Layser; o presidente da Federação de Atletismo do Tocantins, Maurício Monteiro, autoridades da Universidade Federal do Tocantins, do estado, município, entre outros.

A obra foi construída em uma área de 6.615 m² e tem como base o concreto armado para pista Oficial de Atletismo. A pista foi feita com piso sintético e possui as dimensões e características recomendadas pela Confederação Brasileira de Atletismo, além de certificação pela International Associattion of Athletics Federations (IAAF) como classe 2 ou acima, o que a qualifica para receber competições internacionais e aclimatar atletas olímpicos e paralímpicos.

Rede Nacional de Treinamento – A pista de atletismo é uma instalação desportiva para a prática de atletismo que integra a Rede Nacional de Treinamento do Ministério do Esporte, uma parceria do governo federal com governos estaduais, prefeituras, universidades, Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e clubes.

O governo federal garantiu investimentos da ordem de R$ 4 bilhões para a estruturação da Rede Nacional de Treinamento (prevista na Lei 12.395/2011) em todo o País. Os aportes disponibilizados pelo Ministério do Esporte contemplam todos os estados da Federação, com obras como os 12 centros de treinamento, 261 Centros de Iniciação ao Esporte (CIEs), 46 pistas oficiais de atletismo e 10 instalações olímpicas. No Tocantins, foi escolhida a cidade de Palmas para receber uma pita de atletismo.

Investimento – Foram investidos R$ 4.847.244,92 para fazer a obra de base da pista e seus complementos, além de outros investimentos para comprar os equipamentos, revestimento da pista e aplicação do mesmo. Os recursos foram descentralizados, oriundos do Ministério dos Esportes. A ordem de serviço para o início da obra foi emitida no dia 02 de fevereiro de 2015 e foi concluída no dia 22 de março de 2016.

Atletismo no Tocantins – A Federação de Atletismo do Tocantins têm atualmente mais de 400 atletas federados, além de desenvolver vários projetos ligados a formação de atletas no Estado. Maurício Monteiro, presidente da Federação, explica que ainda há centenas de atletas amadores que não são filiados e outros cerca de 50 em processo de credenciamento.

Para você ter uma ideia, mesmo sem ter um local de treinamento profissional, o Tocantins tem atletas medalhistas de bronze em provas com barreira e de 75 metros, campeão de dardo na região norte e nordeste, entre outros títulos.

O estado é forte na modalidade mais popular, que é a corrida, “mas a nova pista vai chamar o debate para a comunidade entender que há várias possibilidades dentro do atletismo; sem contar, que dará suporte a essa diversidade de manifestação esportivas”, destaca Monteiro.

Utilização da pista – Dentro das normas de utilização da pista estão a prioridade de uso para alunos de graduação, pós-graduação, extensão e pesquisas, por meio de projetos acadêmicos, principalmente no que se refere a atletas de rendimento. O espaço pode ser utilizado ainda para treinamento de equipes universitárias, representativas estaduais, nacionais ou internacionais e para competições oficiais.

Michele Lobo, diretora de esporte da Proest, explica que não só a comunidade acadêmica vai poder usar a pista, mas a comunidade em geral também, desde que sigam as recomendações de utilização da pista e agendem com antecedência, obedecendo o objetivo principal da pista – a formação de atletas e treinamento de alto rendimento. Ela destaca ainda, que o campo da pista será utilizado nesta fase inicial apenas para a prática da modalidade de atletismo.

Os interessados em utilizar a pista deverão apresentar o projeto para que seja analisado e avaliado conforme interesse no desenvolvimento da modalidade de atletismo. Em seguida deverão ser feitas reservas, com horários preestabelecidos, por meio da Diretoria de Esportes/Proest.

A pista tem a expectativa de durabilidade de vinte anos, mas para isso, é preciso respeitas as normas de utilização, para prolongar a longevidade da pista e criar condições para que os atletas e treinadores possam desenvolver melhor sua atividade. As normas de utilização e termos de autorização da pista de atletismo serão publicadas em breve pela Diretoria de Esportes da UFT. Mais informações pelos telefones: (63) 3232-8594 e 8179 ou pelo e-mail:uftesportes@uft.edu.br.

INUSITADO: Imagem de gato em bebedouro da UFT gera debates nas redes sociais: especialistas falam sobre doenças e métodos de controle; Diretora da universidade diz que projetos serão realizados

Por: @eduardoazev

A foto de um gato descansando em um dos bebedouros da Universidade Federal Tocantins (UFT), em Palmas, repercutiu nas redes sociais nesta semana. Em entrevista ao Blog do Eduardo Azevedo, o estudante de enfermagem Klisman Marques afirmou ter tirado a foto na última sexta-feira, dia 08 de abril, em um dos blocos da universidade. “Achei um tanto inusitado”, declarou.

O fato registrado pelo aluno é apenas mais um dos vários casos que envolvem felinos nas dependências da UFT. A foto de um animal morto dentro da instituição, por exemplo, também repercutiu nas redes sociais, levantando questionamentos sobre quais os esforços necessários para o cuidado e controle dos gatos.

O médico veterinário e pós-graduando em felinos, Marcell Henrique Schneider, afirmou que um dos principais problemas da grande quantidade de gatos em uma localidade é o abandono e a falta de castração. De acordo com ele, em um período de um ano um felino doméstico pode gerar até 15 filhotes. “Eles reproduzem muito rápido. Uma gata com cinco ou seis meses já pode ser tornar fértil”, declarou.

Quem vive dentro da universidade sabe bem com é a atual situação dos animais e também a falta de atenção por parte da própria universidade para esta questão. A estudante de direito Giulia Scaravanoti é uma das alunas que já buscou orientação da UFT para tentar resolver a questão dos animais.

“Conversei com a diretora do Câmpus de Palmas, Profa. Ana Lúcia, dois meses atrás pra tentar arranjar uma solução mais inteligente do que a de sumir com os gatos. Ela me disse que ia entrar em contato com os responsáveis pelo curso de medicina veterinária lá em Araguaina para trazerem os alunos pra castrar os bichanos aqui em troca de horas pra eles, mas até hoje não tivemos um retorno”, disse.

gato - porto nacional - creditos patricio oliveira
Felinos também ocupam o Câmpus de Porto Nacional – Imagem: Reprodução/Facebook

Giullia desenvolve um trabalho voluntário com os animais dentro da UFT e já chegou a levá-los para realizar a castração por sua conta e de sua família. No entanto, conforme relatado por ela, a grande quantidade de animais dificulta a realização deste trabalho. “Precisávamos de algum projeto. Quem sabe até com o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). Eu dei a ideia de criar um pequeno espaço dentro da UFT, para aqueles que gostam pudessem dar ração e água, assim eles ficariam mais por perto desse espaço e longe da lanchonete, pois com certeza eles iam preferir ficar em um lugar que tem sempre água e ração. Entretanto, a burocracia para criar um espaço como esse é grande, mas seria uma solução temporária”, relatou.

REDES SOCIAIS

Nas redes sociais, como sempre, as opiniões foram diversas. “Uma coisa é gostar dos gatos outra coisa é saneamento. Eles podem transmitir doenças. Existem as chamadas doenças de veiculação hídrica e a toxoplasmose que pode estar nos pelos do gatinho, nas fezes… Gestantes tem que ter cuidado”, disse um dos acadêmicos.

“Se cada aluno pegar um gatinho e apadrinhar ele, ou seja, levar para casa castrar e procurar um lar definitivo diminuirá e muito o acúmulo de animais na UFT”, aconselhou outra.

“Coitado do gato ele estava com calor e só encontrou um lugar para se refrescar”, defendeu uma terceira internauta.

A postagem da foto na íntegra e todo o debate você pode conferir AQUI.

 DOENÇAS

“Um animal bem cuidado, devidamente vacinado, dificilmente transmitirá alguma doença”. Essa foi a afirmação do médico e residente de clínica médica Walter Cardoso.

Em entrevista ao Blog do Eduardo Azevedo ele, que se formou na UFT, afirmou que cuidados básicos com felinos são necessários para que não haja problemas para o ser humano e também para o animal. A pedido da reportagem, ele enumerou algumas doenças que podem ser causadas por felinos que não são cuidados da maneira correta.

“Toxoplasmose, se em contato com fezes de um animal que contraiu a doença; raiva, se por motivo de mordida ou arranhadura; a doença da arranhadura do gato, conhecida como a Bartonella (a raiva é causada vírus e a da arranhadura por bactéria), entre outras. Gatos, assim como outros animais domésticos ou não, são reservatórios de diversos tipos de doenças e comportamentos agressivos podem culminar em contaminações graves também”, disse.

Walter reforçou que um animal de casa, bem cuidado, dificilmente transmitirá algo, mas destacou que no caso de algum acidente ou contaminação importante, médicos e veterinários devem ser consultados.

QUEM JÁ AJUDA

Em Palmas, várias pessoas já realizam trabalho por animais, divulgando correntes de adoção, ou mesmo realizando castrações por conta própria. A protetora de animais, Nice Regina Peixoto, é uma dessas pessoas. Ela faz parte do grupo de Proteção Gente de Pata e afirmou que o trabalho feito por toda a equipe é voluntário, mas feito com muito amor e respeito aos animais.

“Além de fazermos o que é de âmbito do governo, nós resgatamos, tratamos, castramos e dispomos pra adoção responsável. Nós tentamos conscientizar as pessoas que cada um pode fazer a diferença na vida de um animal. Pode alimentar, castrar e zelar pela vida desse ser indefeso. As políticas de castração existente em Palmas é precária, o CCZ dispõe de apenas 80 vagas/mês pra uma demanda enorme da população. A responsabilidade desses animais, já que o governo não assume, é de toda a sociedade”, afirmou.

Quem quiser acompanhar o trabalho desenvolvido pelo grupo, pode acessar a página deles no facebook clicando AQUI.

UFT

A diretora do Câmpus de Palmas, Profa. Ana Lúcia Medeiros, confirmou à reportagem que se reuniu com alunos e simpatizantes da causa para trabalhar em cima de um projeto para resolver os problemas dos felinos no Câmpus. De acordo com ela, esses projetos ainda não tiveram andamento por alguns impedimentos.

“A gente já ia começar esses trabalhos, mas eu passei por problemas de saúde. Também teve o processo eleitoral da UFT, que atrapalhou um pouco e esse projeto ficou parado, mas assim que eu retornar, já que estou de atestado médico, retomarei este projeto”, assegurou a professora, que voltará às suas atividades daqui uma semana.

De acordo com Ana Lúcia, ela já conversou também com uma ONG, com funcionários e acadêmicos da UFT para auxiliar nas estratégias que devem ser tomadas. “Uma delas é justamente esta, de trazer alunos da Medicina Veterinária. Absolutamente nenhum animal será morto, mas será trabalhado a castração e o envolvimento da comunidade por meio da conscientização. Queremos que tudo seja resolvido e que nenhum mal que aconteça aos animais”, disse.

O Blog do Eduardo Azevedo também entrou em contato com a Diretoria de Comunicação da UFT nesta quarta-feira, 13 de abril, e na tarde desta quinta-feira, 14 de abril, solicitando as seguintes informações:

– A UFT tem conhecimento se estes animais são devidamente vacinados?

– A UFT realiza algum trabalho de controle desses animais dentro da Universidade (Câmpus de Palmas)?

Até a noite desta quinta-feira, 14 de abril, o Blog ainda não havia sido respondido.

NA UFT: Inscrições abertas para a Oficina de Circo no Câmpus de Palmas

Por: Virgínia Magrin – Dicom/UFT

“Respeitável público, a magia do circo esta chegando à UFT”, com este chamamento o setor de Extensão e Cultura do Câmpus de Palmas abre as inscrições para os interessados em participar da Oficina de Circo, com o grupo Kikintura.

As oficinas têm início no dia 6 de abril e acontecerão todas as quartas, às 17h, na prainha da UFT, no Câmpus de Palmas. Na programação aulas de malabares, mágicas, pintura fácil, pirofagia, modelagem de balões e técnicas de criação em humor.

OFICINA
Folder da Oficina – Reprodução/Facebook

Se você não tem experiência nenhuma com arte, não há problema, vai poder frequentar as oficinas do mesmo jeito, afinal, ela é voltada para iniciados e iniciantes nas artes circenses. Emanuel, que faz parte do grupo Kikintura dá a dica: “O circo pode ser feito por todos, alguns até podem ter mais dificuldades, mas cada um, dentro do seu limite, pode e deve participar, pois a arte circense ajuda a nos conhecermos melhor, conhecer os limites do nosso corpo e se superar sempre”.

Está esperando o que para garantir a sua vaga na oficina? As inscrições podem ser feitas pelo telefone (63)8443-7748 e a taxa de manutenção da oficina é de R$ 30,00 reais mensais. Haverá isenção da mesma para alunos que comprovarem vulnerabilidade socioeconômica.

Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (63) 3232-8312.

CÂMPUS DE PALMAS: Ocorrência por ato obsceno dentro da UFT é registrada por acadêmica: DCE trata caso como tentativa de estupro; universidade diz que aluno possui problemas psicológicos

Por: @eduardoazev

Um ato obsceno ocorrido na Universidade Federal do Tocantins (UFT), Câmpus de Palmas, foi registrado na Delegacia de Polícia Civil da Capital na noite desta segunda-feira, 28, conforme informações da Assessoria de Comunicação da Secretaria de Segurança Pública (SSP).

De acordo com o Boletim de Ocorrência (BO), uma estudante estava chegando com sua filha menor de idade nas proximidades do Bloco J, quando a criança, que estava mais a frente, viu um homem (que não teve a identidade divulgada) saindo do banheiro do referido local com as calças abaixadas e com as partes íntimas de fora. Na ocasião, a criança começou gritar para a sua mãe, que chamou a segurança.

Posteriormente, após o reconhecimento feito pelas vítimas, os guardas encontraram o homem que teria cometido o delito no ponto de ônibus e a Polícia foi acionada. A mãe e o rapaz foram encaminhados à Delegacia para registrar a ocorrência. Conforme as informações da SSP não foi registrado no BO nenhuma tentativa de estupro. Eles foram ouvidos e liberados em seguida.

Por meio de nota, a diretora do Câmpus de Palmas, Ana Lúcia Medeiros, informou que foi identificada a pessoa que tentou praticar ato de violência, e que se trata de um aluno com problemas psicológicos. “A Universidade já identificou o autor do incidente, soubemos que ele possui problemas psicológicos. Nesse momento, a instituição está contatando a família para tomar as medidas cabíveis”, informou.

Também por meio de nota, o Diretório Central dos Estudantes (DEC-UFT) se manifestou sobre o fato, tratando-o como tentativa de estupro e repudiando o crime, afirmando que casos como esses são recorrentes na Universidade

“Tal ato demonstra a necessidade da efetivação de ações de segurança reforçadas, bem como de uma melhor iluminação dentro do campus. A ocorrência de uma atitude como esta reflete uma total falta de respeito para com as mulheres em seus mais diversos espaços”, diz a nota publicada pelo Diretório.

Ainda conforme as informações do DCE é necessário ações conjuntas dentro da própria UFT para que casos como esses não ocorram. “A tentativa de estupro ocorrida é brutal e criminosa. Salientamos que o DCE está tomando providências quanto a esse ato, para que os responsáveis sejam punidos”, conclui.

NOTA DCE
Nota do DCE-UFT na íntegra – Imagem: Reprodução/UFT

O Diretório também divulgou a realização de uma manifestação contra a falta de segurança no Câmpus de Palmas, no térreo do Bloco J, nesta quarta-feira 30, a partir das 19h.

MANIFESTAÇÕES

Ainda na noite desta segunda-feira, 28, o fato foi assunto nas redes sociais. Em um grupo da Universidade, uma acadêmica afirmou ter presenciado o delito:

POST - MANIFESTAÇÃO
Post publicado por uma acadêmica da UFT em um grupo da Universidade – Imagem: Reprodução/Facebook

Muitos acadêmicos e acadêmicas também mostraram indignação com o ocorrido. Alguns relataram um clima de insegurança dentro das dependências da instituição. À reportagem, a estudante de teatro Kelcy Emerich, que estuda no período noturno, afirmou que não se sente segura dentro da UFT. “É um risco exercer atividades acadêmicas, como ir até a xerox, esperar o ônibus ou mesmo sentar no hall da biblioteca”, declarou.

Outra acadêmica também desabafou no grupo da universidade. “Um absurdo! É uma sensação de insegurança e medo. Não há segurança pra bens materiais, não há segurança pros nossos corpos! Ser mulher não está fácil”, postou.

Outro aluno foi ainda mais duro em suas reclamações. “A UFT é assim mesmo. Talvez quando alguma mulher for estuprada ou alguém se ferir gravemente ou até mesmo quando algum membro da reitoria sofrer com isso ai sim talvez sejam tomadas as devidas providências”, disse por meio de uma postagem.

Em muitos comentários, foi solicitado o imediato policiamento dentro da Universidade.

 

UFT

A Diretoria de Comunicação da UFT informou à reportagem que a instituição tem tomado medidas preventivas, tirando as aulas da noite de blocos afastados e concentrando em prédios localizados no centro do câmpus onde é possível garantir uma ronda frequente de vigilantes e mais segurança aos alunos e profissionais da UFT.

A UFT destacou que tem investido na manutenção da iluminação do Câmpus de Palmas, assim como na poda de árvores, com o objetivo de eliminar os pontos escuros que são provocados por galhos que tapam a iluminação dos postes. A universidade reforçou que na manhã desta terça-feira, 29, também será realizada uma roçagem de mato, para facilitar ampla visibilidade e evitar que suspeitos se refugiem nesses locais.