EDITAL EM AGOSTO: Governo do Tocantins anuncia 1.000 vagas para concurso da Polícia Militar: no último certame remuneração inicial foi de R$ 3.057,77

Por: @eduardoazev

O governo do Tocantins lançará no dia 25 de agosto deste ano o edital do concurso da Polícia Militar do Estado (PM-TO), que disponibilizará 1000 vagas para o ingresso na corporação. O anúncio foi feito na tarde desta segunda-feira, 25 de abril durante uma coletiva de imprensa.

ÚLTIMO CONCURSO

O último concurso para o preenchimento de vagas para o Cargo de Soldado do QPPM da Polícia Militar, ocorreu em 2013. Na ocasião foram ofertadas 300 vagas, sendo 270 para candidatos do sexo masculino e 30 para candidatas
do sexo feminino.

Para o ingresso na época era necessário:

a) Aprovação em todas as etapas do concurso público e classificação dentro do número de vagas estabelecido neste
Edital;
b) Nacionalidade brasileira;
c) Idade mínima de 18 anos, no ato da inclusão na corporação;
d) Idade máxima de 30 anos até o último dia do prazo de inscrições previsto neste edital;
e) Altura mínima de 1,63m, se do sexo masculino, e 1,60m, se do sexo feminino;
f) Conclusão do Ensino Médio (no ato da matrícula no curso de formação);
g) Idoneidade moral, comprovada mediante apresentação de certidões policial e judicial, na forma prevista em edital;
h) Comprovação negativa de sentença condenatória, transitada em julgado, em âmbito penal, penal militar e eleitoral;
i) Estar em dia com as obrigações eleitorais;
j) Se do sexo masculino, estar em dia com as obrigações do serviço militar;
k) Pleno exercício dos direitos políticos;
l) Compatibilização para nova investidura em cargo público;
m) Não ser ex-aluno ou ex-agente público, civil ou militar, desligado, demitido ou exonerado por incompatibilidade ou
motivo disciplinar;

REMUNERAÇÃO EM 2013

No concurso de 2013, após aprovação no  Curso de Formação, era ofertada a remuneração inicial de 3.057,77, além de Auxílio-Alimentação.

As informações completas sobre o concurso de 2013 você pode conferir AQUI.

Anúncios

OPINIÃO: Dois policiais mortos no final de semana: um momento para refletir sobre o respeito que deve ser dado aos militares do Estado do Tocantins

Por: @eduardoazev

 

 

O início da semana não será fácil para a Polícia Militar do Estado do Tocantins (PM-TO).

Com duas baixas neste final de semana, a tristeza tomou conta de toda a corporação, pois mais do que companheiros de serviço, dois irmãos tiveram suas vidas ceifadas.

Ambos no exercício de sua profissão.

O soldado Ivan Borges de Lima, morto na última sexta-feira, 01, não estava fardado. No entanto, honrou a compromisso e a promessa que fez à farda, de defender a sociedade. Ele impediu um assalto em um estabelecimento comercial em Palmas, alvejando os dois autores, mas, infelizmente, foi ferido e conduzido ao Hospital Geral de Palmas (HGP), onde não resistiu.

Uma amiga policial, abalada com este ocorrido, desabafou em uma rede social. “Ainda vem gente dizer que a PM tocantinense ganha bem para não fazer nada, para ficar passeando de viatura. Pior que ouvir essas asneiras, é engraxar meu coturno para ir a um cortejo fúnebre de um colega tão padrão como este que se foi”, postou. O sentimento de perda é geral em toda a instituição Militar do Tocantins.

A esposa do Soldado, que está grávida, também desabafou.

“Ele vivia para a Polícia Militar, se orgulhava ao vestir a farda, foi um grande homem. Como marido não tenho o que reclamar, um grande companheiro, sempre me colocando para cima e dando força. Como militar era padrão. Nesse momento de dor gostaria de esclarecer somente que ele honrava a PM e não seria capaz de fazer nada contra as normas da PM. No dia do ocorrido ele estava fazendo alguns orçamentos para tentarmos iniciar mais um de nossos sonhos, a nossa casa própria. Ele apenas cumpriu o juramento que fez quando formou, que iria proteger a sociedade a qualquer modo, e agora de onde ele estiver vai proteger eu e a Isa, que ele tanto sonhava em pegar no colo”, escreveu.

Infelizmente esse sonho também foi interrompido.

Já neste domingo, 03, na cidade de Colmeia, conforme informações da PM, o Sargento Paulo Pereira da Silva tombou ao defender a sociedade também em circunstâncias trágicas.

Durante atendimento a uma ocorrência no município, o Militar foi fatalmente atingido e o seu companheiro de serviço, 3º Sargento Josafá Ferreira de Araújo também foi alvejado, mas se encontra estável, recebendo cuidados médicos.

O Sargento Paulo ingressou na corporação no ano de 1998, atualmente servia no 7º Batalhão, tinha 38 anos, era casado e deixa dois filhos.

Nesta segunda-feira, 04, a PM manterá os seus trabalhos em todo o Tocantins. Continuará lutando para manter a ordem pública, através de patrulhamentos, rondas, abordagens a pessoas e a veículos. Realizá prisões, detenções, buscas e condução de criminosos.

Mesmo assim será um dia triste para todos, principalmente para os familiares dos militares que se foram e para os irmãos de farda.

Muita gente fala sobre a Polícia Militar e demonizam os seus trabalhos simplesmente pelo que veem na TV. Uma generalização injusta, principalmente quando se trata dos policiais aqui do Tocantins.

No Estado, todos têm um conhecido, um familiar, um amigo ou uma amiga que é da PM. De perto, pode ser verificado o trabalho de referência, com os recursos que possuem, que é desenvolvido pela grande maioria em prol da sociedade.

As histórias de vida do soldado Ivan e do Sargento Paulo são reflexos do respeito que deve ser dado instituição. Eles deram a coisa mais preciosa que possuíam para defender aquilo que acreditavam, e não se fala exclusivamente da vida em si, mas do convívio com aqueles que eles amavam e que os amavam também.

Neste momento é necessário fazer esta reflexão. Está comprovado que eles farão o que for possível – inclusive colocando suas vidas na linha de frente –para defender a população.

O respeito é um mero ato de reconhecimento que deve ser dado por esta sociedade à PM do Estado do Tocantins.

Polícia Militar e Bombeiros não receberam nenhuma ocorrência sobre atentado à Delegacia em Palmas

pm
Imagem: Da Web

Por: @eduardoazev

O Blog do @eduardoazev entrou em contato neste domingo (01) com a Polícia Militar (PM) de Palmas que desmentiu os boatos de que uma delegacia teria sido queimada na Capital. De acordo com as informações repassadas à reportagem, a PM possui um sistema interligado com o Corpo de Bombeiros, que também não recebeu nenhuma ocorrência nesse sentido até o início da noite deste domingo (01).

A Polícia informou também que só soube desta informação pela rede social “WhatsApp”.

* Muitos áudios e imagens têm sido compartilhados nas redes sociais, com diversas informações sobre o crime. Muitas pessoas podem utilizar desse momento para fazer “terrorismo” com a população, por isso o Blog do @eduardoazev aconselha a todos os leitores a buscarem informações em veículos de credibilidade no Estado.

#DeOlhoNaSegurançaPública: Capitão diz que número de PMs do TO em cargos administrativos não passa de 4%

Em julho do ano passado 420 novos soldados foram colocados nas ruas do Estado
Em julho do ano passado 420 novos soldados foram colocados nas ruas do Estado – Imagem: Blog do @eduardoazev

Por: @eduardoazev

O Blog do @eduardoazev, por meio do Sistema de Informação ao Cidadão do Tocantins, solicitou ao Executivo Estadual a  informação sobre a quantidade de policiais militares que estão trabalhando nas ruas de todo o Estado. De acordo com o capitão Vinicius Dourado Moreira Lima não foi possível precisar um número exato de quantos soldados estão no serviço operacional ou administrativo. “Mas é certo que o número de PMs, soldados do quadro de combatentes, lotados no serviço administrativo não ultrapassa 4% do número total do efetivo”, ressaltou.

A informação foi solicitada após algumas pessoas terem relatado nas redes sociais a falta de viaturas nas ruas da Capital. No ano passado a extinta Agência Tocantinense de Notícias (ATN) divulgou que no Tocantins 4.208 policiais militares efetivos estavam distribuídos em oito batalhões, seis companhias independentes, além das unidades ambientais e de operações especiais para atenderem os 139 municípios tocantinenses.

O assassinato do Tenente Augusto em Porto Nacional e uma reflexão sobre a onipresença da homofobia

Tenente Augusto
Tenente Augusto

Por: @eduardoazev

A morte do tenente da Polícia Militar do Tocantins, Francisco Augusto Vidal, de 36 anos, ocorrida no último dia 03, tem levantado discussões em torno dos motivos que teriam levado à ocorrência do crime. Algumas delas eu presenciei. Uma ocorreu na Universidade Federal do Tocantins (UFT) da seguinte maneira.

Continuar lendo “O assassinato do Tenente Augusto em Porto Nacional e uma reflexão sobre a onipresença da homofobia”